JC (?) - Existem 126 escritos que afirmam que Jesus não existiu?

Apologética

126 escritores que, de acordo com Michael Paulkovich, deveriam ter mencionado que Jesus existiu

[Nota do tradutor: o autor desta réplica é Steven Bollinger, o qual é ateu]. Aqui vamos nós. Aqui está a lista de Paulkovich, reproduzida como ele deu, com menções peculiares como “Cassião Dio” ao invés do mais familiar “Dião Cassião”, e “Halicarnassensis Dionísio II” em vez de “Dionísio de Halicarnasso.”

Elio Teon, Albino, Alcino, Amônio de Atenas, Alexandre de Aegae, Antípatro de Tessalônica, Antônio Polemo, Apolônio Discolus, Apolônio de Tiana, Apião, Arquígenes, Areteu, Árrio, Asclepíades de Prusa, Ascônio, Aspásio, Atilicino, Átalo, Basso de Corinto, C Cássio Longino, Calvisio Tauro de Berito, Cássio Dio, Carameão de Alexandria, Cláudio Agatemero, Cláudio Ptolomeu, Cleópatra Médica, Cluvius Rufus, Cn Cornelius Lentulus Gaetulicus, Cornelius Celsus, Columella, Cornutus, D Haterius Agripa, D Valerius Asiaticus, Damis, Demetrius, Demonox, Demóstenes Philalethes, Dion de Prusa, Domício Afer, Epicteto, Erotianus, Eufrates de Tiro, Fabius Rusticus, Favorinus, Flaco, Florus, Fronto, Gellius, Gordius de Tiana, Gnaeus Domício, Halicarnassensis Dionísio II, Heron de Alexandria, Josefo, Justus de Tibério, Juvenal, Lesbonax de Mitilene, Lucano, Lucian, Lisímaco, M Antonius Pallas, M Vinicius, Macro, Mam Aemilius Scaurus, Marcellus Sidetes, Martial, Maximus Tyrius, Moderatus de Gades, Musonius, Nicarchus , Nicômaco Gerasenus, Onasandros, P Cláudio Thrasea Paetus, Palaemon, Pamphila, Pausânias, Pedacus Dioscorides, Pérsio / Perseus, Petronius, Fedro, Phillipus de Theesalonica, Filo de Alexandria, Flegonte de Tralles, Plínio, o Velho, Plínio, o Jovem, Plotino, Plutarco, Pompeu Saturnino, Pomponius Mela, Pomponius Secundus, Potamon de Mitilene, Ptolomeu da Mauritânia, Q Curtius Rufus, Quintiliano, Rubellius Plauto, Rufus de Éfeso, Saleius Bassus, Scopelian o sofista, Scribonius, Seneca, o Velho, Seneca, o Jovem, Afranius Burrus, Júlio Frontino, Servílio Damocratus, Sílio Italicus, Sorano, Soterides de Epidaurus, Sotian, Estácio, o Velho, Estácio, o Moço, Suetônio, Sulpicia, T Aristo, T Statilius Crito, Tácito, Talo, Theon de Esmirna, Trasilo de Mendes, Claudius Pasion, Júlio Alexandre, Tibério, Valério Flaco, Valerius Maximus, Vardanes I, Vellius Paterculus, Verginius Flavius ​​e Vindex.

Ok. Vamos começar com as pessoas da lista que, contrariamente às afirmações do Paulkovich, na verdade, falam de Jesus ou cristãos: Josefo, Plínio, o Jovem, Suetônio e Tácito. Há, claro, uma passagem nos manuscritos de Josefo que elogia Jesus, a ponto de chamá-lo como Deus, que é agora geralmente aceito ser uma interpolação. Alguns estudiosos, apologistas, principalmente, concordam que é uma interpolação, mas insisto – de forma pouco convincente, na minha opinião – dado que a narrativa original ainda menciona Jesus naquele ponto. Seja como for, Jesus é mencionado em outra passagem em Josefo tendo a ver com o seu irmão Tiago. Alguns dizem que a passagem em Tácito descreve o tratamento cruel de Nero aos cristãos, na verdade, tem a ver com os seguidores de Cresto, não Cristo. Afirmo que “Cresto” é simplesmente um erro de ortografia. 4 mencionam Jesus ou cristãos, o que deixa 122 nomes na lista de Paulkovich.

Em seguida, estão as 47 pessoas cujos escritos Paulkovich não pode ter estudado, como ele alegou, porque nenhum de seus escritos sobreviveram: Albino (assumindo quePaulkovich está se referindo ao Albino, que era procurador da Judeia no reinado de Nero), Amônio, Alexandre de Aégia, Apolônio de Tiana, Átalo, Bassus de Corinto, Qeremão de Alexandria, Cláudio Agatemero, Cleópatra Médica, Clúvio Rufo, Cneu Cornélio Lêntulo Getúlico, Dídio Haterius Agripa, Damis, Demétrio, o Cínico, Demóstenes Philalethes, Domício Afer, Epicteto, Fabius Rusticus, Favorinus, Gnaeus Domício Afer, Justus de Tiberíades, Pallas, Marcus Vinicius, Mamercus Aemilius Scaurus, Moderatus de Gades, Thrasea, Palaemon, Pamphile de Epidaurus, Pompeu Saturnino, Pomponius Secundus, Rubellius Plauto, Saleius Bassus, Scopelian, Scribonius, Afranius Burrus, Servílio Damocrates, Soteridas, Sotion, Estácio, o Velho, Aristo, Críton, Trasilo de Mendes, Tiberius Claudius , Tiberius Julius Alexandre, Tibério, Vardanes I, Lucius Verginius Rufus e Vindex. Isso deixa 74.

Elio Teon é conhecido apenas como o autor de exercícios para oradores. Alcino escreveu um manuel filosófico platônico para professores. Lesbonax morreu antes de Jesus e, se viveu depois, já era totalmente adulto. Todos os vários Lisímacos morreram antes de Jesus ter nascido, assim como Escribônio, pai e filho. Sílio Itálico é conhecida por um poema sobre a segunda guerra púnica, Valério Flaco por Jasão e os Argonautas. Flaco é Valério Flaco. De Sulpício, somente duas linhas de versos eróticos sobrevive,. Sorâno era um ginecologista. Arquígenes, Arateu, Pedânio, Celso e Rufo também eram médicos. Frontino, escreveu um famoso livro sobre aquedutos e outro sobre estratégia militar. Floro escreveu um epítome à Tito Lívio. Estamos reduzidos a 57 nomes na lista de Paulkovich. Apenas 2 orações fúnebres sobrevivem de Polemon. 4 livros por Apolônio Discolo sobrevivem, cada um sobre sintaxe, adjetivos, conjunções e pronomes.
A lista agora se reduz para 55.

Ptolomeu é o matemático e astrônomo muito famoso cuja autoridade em um ponto Copérnico suplantou. Por que Paulkovich o considera ter sido um historiador? Seu palpite é tão bom quanto o meu. Columela escreveu sobre agricultura, Cornuto sobre mitologia grega, Valério Asiático escreveu uma carta para a polícia sobre um porco roubado, Erotiano escreveu um livro que deixa claro se ele era um médico que amava a gramática polida ou um gramático que admirava Hipócrates. A lista agora fica em 50. Isto deixa 4 epigramatistas, 4 matemáticos, mais dois geógrafos, nove pessoas que eu nunca ouvi falar (inventados por Paulkovich?), e mais 31 pessoas que poderiam ter escrito um total de 5 páginas entre eles sobre toda a história da Judeia e Galileia, 5 páginas que são muito suspeitas de não terem nenhuma menção de Jesus!

E muitos escritores não cristãos antes de 300 d.C., data limite de Paulkovich, que mencionam Jesus ou cristãos, não estão em sua lista.

Como ateu, espero por uma melhor classe de ateus, ateus que escrevem sobre a história que não são historicamente analfabetos.

Tradução: Emerson de Oliveira

Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »